11/05/2023 às 13h34min - Atualizada em 11/05/2023 às 13h34min

Haddad busca apoio dos EUA para solucionar a crise argentina

O ministro discute com Janet Yellen a intervenção do FMI e a preocupação com ascensão da extrema-direita

Redação
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O Ministro da Fazenda, Fernando Haddad, solicitou o apoio dos Estados Unidos durante o encontro do G7 para intervir junto ao Fundo Monetário Internacional, e ajudar a resolver a crise na Argentina. Haddad discutiu o assunto com a Secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen, em uma reunião bilateral durante o evento.

Haddad expressou sua preocupação com a crise econômica na Argentina, que inclui uma inflação anual acima de 100% e uma grande seca, e como isso pode afetar o cenário político.


O Ministro ressaltou que a solução para a crise argentina passa pelo FMI e que a união de Brasil e Estados Unidos nesse apoio pode facilitar as coisas para o país vizinho. Ele mencionou que o Presidente Lula também abordará esse assunto durante sua participação no G7.

O governo Lula tem defendido a reforma de organismos multilaterais, como o Banco Mundial e o FMI, argumentando que essas instituições impõem contrapartidas que não condizem com a realidade dos países emergentes e beneficiam mais os países ricos.

Haddad também foi questionado sobre a aproximação do Brasil com a China e seus impactos nas relações com os Estados Unidos, em meio à disputa de hegemonia entre as duas potências. Ele afirmou que Janet Yellen não tem objeções aos acordos comerciais do Brasil e à sua relação com a China.

Essa busca por apoio dos EUA em relação ao FMI e à crise argentina demonstra a preocupação do governo brasileiro em solucionar a crise econômica de um país vizinho relevante e fortalecer suas alianças com países do Sul global, reduzindo a dependência de nações desenvolvidas e fortalecendo a posição do Brasil como líder regional.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Fale com a #Redação
Fale com a #Redação
Encontrou algum erro? Quer fazer uma sugestão de matéria? Fale agora mesmo com a redação do Vale 24 Horas