21/06/2023 às 10h56min - Atualizada em 21/06/2023 às 10h56min

Encontrado sem vida na prisão o autor do homicídio em escola de Cambé

O responsável pelo crime escolar em Cambé, preso desde segunda-feira, foi encontrado morto em Londrina. A causa do óbito é desconhecida.

Imagem: Internet

O jovem de 21 anos, responsável pelo episódio doloroso que culminou na morte de dois estudantes no Colégio Estadual Professora Helena Kolody, localizado em Cambé, na parte norte do estado, foi descoberto já sem vida em sua cela na Casa de Custódia de Londrina na noite de terça-feira (20), conforme divulgado pela Secretaria da Segurança Pública do Paraná (Sesp).

As circunstâncias exatas da morte permaneciam incertas na última atualização desta notícia. O Instituto Médico-Legal de Londrina recebeu o corpo para exames e autópsia. De acordo com informações fornecidas pela Sesp, o falecido dividia sua cela com outro jovem, também de 21 anos, atualmente sob investigação por suspeita de envolvimento no mesmo incidente. A Polícia Civil continua a investigar o caso para esclarecer a causa do óbito.

O indivíduo em questão entrou no recinto escolar em Cambé na segunda-feira (19). Nesse fatídico episódio, ceifou a vida de Karoline Verri Alves, uma estudante de 17 anos, por meio de um disparo fatal na cabeça. Outro estudante, Luan Augusto, de 16 anos, também foi vítima de um tiro na cabeça e acabou sucumbindo aos ferimentos no hospital.

O perpetrador estava sob custódia em Londrina desde segunda-feira (19). Conforme relatos da Secretaria de Segurança, ele sofria de esquizofrenia e estava recebendo tratamento para o transtorno.

Karoline e Luan mantinham um vínculo amoroso que durava cerca de um ano. Eles eram assíduos participantes de atividades religiosas na mesma igreja. O pai de Luan revelou que seu filho tinha a aspiração de se tornar um perito criminal, e a família inclusive tentou matricular o adolescente em um curso nessa área.


Dilson Antonio Alves, o pai de Karoline, falou abertamente sobre o que sua filha significava para ele e para o restante da família. "Minha filha era uma joia rara, uma jovem que não merecia o destino que teve. Sua morte injusta deve ressoar na sociedade e espero que a perda dela promova mudanças significativas. Sua morte pode evitar que outras vidas sejam perdidas", declarou ele diante do Instituto Médico-Legal (IML), para onde o corpo da estudante foi levado.

Investigação
Além do autor do crime, a Polícia Civil prendeu outro homem de 21 anos suspeito de ter tido uma participação no planejamento do evento que acabou na morte dos dois estudantes. Este foi preso na noite de segunda-feira. A polícia também informou que um jovem de 13 anos foi levado à delegacia, prestou depoimento e, em seguida, foi liberado.


Notícias Relacionadas »
Fale com a #Redação
Fale com a #Redação
Encontrou algum erro? Quer fazer uma sugestão de matéria? Fale agora mesmo com a redação do Vale 24 Horas