26/02/2024 às 16h58min - Atualizada em 26/02/2024 às 16h58min

Força Tarefa de Fabriciano eliminou 500 toneladas de inservíveis e diminui infestação do Aedes aegypti

Água parada é principal vilã no combate ao Aedes aegypti, que transmite dengue, chikungunya e zika

Foto: Divulgação/ PMCF

Essa ação marca o encerramento da "Força Tarefa" realizada pelo município com o objetivo de eliminar focos do mosquito e frear o avanço de casos das doenças na região.

Após um mês da força-tarefa, o número de casos semanais de dengue e chikungunya começou a diminuir.

O secretário de Governança da Saúde, Ricardo Cacau, comemora os resultados da força-tarefa, mas destaca que os cuidados contra as arboviroses devem ser mantidos diariamente.

A Força-Tarefa liderada pela Saúde também contou com o apoio de equipes das secretarias de Governança de Obras e Serviços Urbanos (Limpeza Urbana) e de Planejamento, Meio Ambiente e Habitação (Fiscalização e Posturas). O mutirão cobriu a maior parte da cidade, priorizando os bairros e locais com maiores índices de infestação do mosquito e casos da doença.

O Vale do Aço é uma região endêmica para arboviroses. Por isso, em Fabriciano, o trabalho de prevenção acontece durante todo o ano, com reforço das ações no período de chuvas e calor. A gerente de Vigilância em Saúde, Vânia Tavares, explica que desde outubro o município atua em ritmo de mutirão; porém, com o aumento de casos no início do ano, houve a necessidade de ampliar as ações com a força-tarefa.

"Passamos em praticamente todos os bairros. As residências e bairros que, porventura, não foram visitados serão contemplados pelos agentes de endemias. No entanto, é importante destacar que o papel dos agentes é tratar uma caixa d'água, piscina, por exemplo. Mas o dia a dia em nossa casa é responsabilidade nossa. Todos precisam dedicar alguns minutos para verificar se há água parada. Conclamamos a população, pois somente o poder público não conseguirá deter o mosquito", conclui a gerente de Vigilância em Saúde de Fabriciano.

A melhor forma de prevenir a dengue, chikungunya e zika é evitar o acúmulo de água parada, onde o mosquito transmissor se prolifera. Portanto, alguns cuidados devem fazer parte da rotina de todo cidadão, como: higienizar a vasilha de água dos animais domésticos; retirar água acumulada de plantas; descartar corretamente materiais como copos, latas, garrafas, potes etc; limpar o quintal; fechar sacos plásticos de lixo; manter a água de piscinas em condições de uso, entre outros.

A população também pode e deve fazer parte desta Força-Tarefa contra o mosquito. Uma das formas de colaborar é denunciar quem permite o acúmulo de água em sua casa, em lotes vagos, sujos e com focos, assim como o morador que se recusa a permitir a vistoria de sua casa pelos agentes de endemias e os agentes comunitários de saúde.


Notícias Relacionadas »
Fale com a #Redação
Fale com a #Redação
Encontrou algum erro? Quer fazer uma sugestão de matéria? Fale agora mesmo com a redação do Vale 24 Horas