30/11/2023 às 14h49min - Atualizada em 30/11/2023 às 14h49min

Casos de dengue sobrecarregam UPA de Timóteo

Até o dia 27 de novembro, foram 984 notificações de dengue, o que tem sobrecarregado a Unidade de Pronto Atendimento (UPA)

Foto: Divulgação/PMT

Com o número de casos notificados de dengue acima do normal para essa época do ano, a Secretaria de Estado de Saúde tem recomendado aos municípios e à população que reforcem os cuidados contra a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença.

O período mais chuvoso na maior parte do país costuma ocorrer entre novembro e maio quando é registrado um aumento significativo nas notificações de casos de arboviroses, principalmente a dengue. Para avançar com as ações de combate ao mosquito que também transmite Zika e Chikungunya, a participação da sociedade na eliminação dos focos do mosquito em ambientes domésticos é fundamental.

Em Timóteo, a situação não é muito diferente do restante do país. Somente no mês de novembro - até o dia 27 de novembro, foram 984 notificações de dengue, o que tem sobrecarregado a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Geraldo dos Reis Ribeiro, no bairro Primavera. Somente na semana de 20 a 27 de novembro foram 395 notificações, um número bem alto se comparado com todo o mês de outubro quando foram 281 registros.

Esses números dão a real dimensão para o problema. Com isso a direção da UPA de Timóteo tem reforçado as equipes para dar conta da elevação do atendimento desses casos. Diariamente a unidade conta com um médico extra, bem como a equipe assistencial tem sido ampliada periodicamente.

A direção da UPA está atenta e monitorando esse aumento para colocar profissionais a mais e assim atender a demanda. “A nossa prioridade sempre será a saúde da população e a qualidade do serviço prestado na UPA”, citou o diretor da unidade Belmiro Costa.

Isso, no entanto, não tira a responsabilidade dos moradores em vistoriar o seu imóvel diariamente para não deixar água parada. Em caso de lotes ou imóveis vagos o morador vizinho pode denunciar de forma anônima no 3847-7612.

A colaboração dos cidadãos para que sigam o protocolo de atendimento, em casos com suspeita de dengue, também é muito importante. Assim, eles devem buscar em primeiro lugar o atendimento nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e não na UPA.

Nas UBSs as pessoas com suspeita receberão a assistência adequada. Grande parte da população está se dirigindo diretamente para UPA sem ter a confirmação do diagnóstico de dengue, provocando uma sobrecarga nos atendimentos. Com isso, a UPA acaba atrasando a abordagem dos casos de classificação de risco e levando transtorno aos demais usuários.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Fale com a #Redação
Fale com a #Redação
Encontrou algum erro? Quer fazer uma sugestão de matéria? Fale agora mesmo com a redação do Vale 24 Horas