30/08/2023 às 13h10min - Atualizada em 30/08/2023 às 13h10min

Ipatinga confirma duas mortes de Febre Maculosa no município

Vítimas identificadas podem ter sido contaminadas em pescaria numa lagoa da região

Redação
Foto: divulgação/ PMI

A Vigilância Epidemiológica de Ipatinga confirmou nesta terça-feira (29) os dois casos de óbito por Febre Maculosa (uma doença transmitida por carrapatos) que estavam em investigação. Os dois casos, um envolvendo um idoso e outro um jovem, acentuam preocupações das autoridades em relação à prática da pesca na região, sinalizando a necessidade de precauções quanto a situações de exposição a carrapatos.

O primeiro caso diz respeito a J. R. S., um homem de 64 anos, residente no centro de Ipatinga, que morreu no dia 23 de julho de 2023. O segundo caso envolve G. H. S. S, jovem de 29 anos, morador do bairro Bom Jardim, que veio a óbito no dia 27 de julho. Ambos praticavam a pesca e tiveram contato com carrapatos no mesmo período, enquanto se encontravam numa lagoa pertencente a um município vizinho.

A confirmação oficial da Febre Maculosa foi resultado de uma investigação minuciosa conduzida pela equipe da Vigilância Epidemiológica de Ipatinga. O exame de biologia molecular detectável foi crucial para determinar que a doença foi a causa dos óbitos.

A Vigilância Epidemiológica de Ipatinga está intensificando seus esforços para fornecer informações atualizadas e garantir a segurança da comunidade. A colaboração da população é fundamental para prevenir futuros casos de Febre Maculosa.

Para obter informações adicionais e orientações sobre como se proteger contra a Febre Maculosa, os interessados devem entrar em contato com a Vigilância Epidemiológica de Ipatinga.

Formas de contágio

A Febre Maculosa é uma doença infecciosa, febril aguda e de gravidade variável. Ela pode variar desde as formas clínicas leves e atípicas até formas graves, com elevada taxa de letalidade. É causada por uma bactéria do gênero Rickettsia, transmitida pela picada do carrapato.

No Brasil duas espécies de riquétsias estão associadas a quadros clínicos da Febre Maculosa. Os principais vetores são os carrapatos do gênero Amblyomma, tais como o conhecido carrapato estrela. Entretanto, potencialmente, qualquer espécie de carrapato pode albergar a bactéria causadora da Febre Maculosa, como por exemplo, o carrapato do cachorro. 


Tags »
Notícias Relacionadas »
Fale com a #Redação
Fale com a #Redação
Encontrou algum erro? Quer fazer uma sugestão de matéria? Fale agora mesmo com a redação do Vale 24 Horas