11/04/2023 às 13h13min - Atualizada em 11/04/2023 às 13h13min

Conselho Federal de Medicina proíbe prescrição de testosterona para uso com objetivo de ganho de massa muscular

Apesar da procura ser alta entre praticantes de musculação e algumas categorias de atletas, a compra de forma legal está mais difícil a partir de agora

Redação
Foto: Reprodução

O Conselho Federal de Medicina (CFM) proibiu que médicos receitem, especialmente para ganho de massa muscular, o uso de terapias hormonais de reposição de testosterona a partir desta terça-feira, dia 11. Quem receitar aos pacientes o hormônio terá de sofrer punição pelo Conselho.

A busca por testosterona de forma receitada já era difícil e a partir de agora se torna impossível perante a nova regra. Vale destacar que o seu uso geralmente também é feito por atletas de fisiculturismo e powerlifting devido a ser um esporte que exige uma transformação extraordinária do corpo.

A medida não muda em nada os tratamentos para outras funções, como no processo de transição de gênero ou no tratamento de deficiências naturais do organismo na produção do hormônio.

Como nem tudo são só pontos positivos, apesar do aumento de força, definição e queima de gordura, que é característico de quem usa o hormônio, existem estudos que mostram um aumento de casos de problemas de saúde cardíacos, como hipertensão e aumento do risco de infarto.

E isso ocorre quando se faz um uso prolongado em doses acima do que o corpo é acostumado a produzir, além de trazer dependência em homens devido à aplicação fazer com que os testículos parem de produzir no momento em que o organismo nota que ele já está recebendo altas quantidades de hormônio, sendo assim o corpo para a produção como forma de buscar o equilíbrio.

Em mulheres ocorre acentuação de características masculinas, como aumento de pelos, voz mais rouca e agressividade.


Notícias Relacionadas »
Fale com a #Redação
Fale com a #Redação
Encontrou algum erro? Quer fazer uma sugestão de matéria? Fale agora mesmo com a redação do Vale 24 Horas