06/12/2022 às 15h04min - Atualizada em 06/12/2022 às 15h04min

Fabriciano conquista certificado por combate à transmissão da AIDS

Documento será entregue em Brasília nesta quarta (7)

Redação
Foto: Divulgação/PMCF

O Município de Coronel Fabriciano receberá do Ministério da Saúde, em Brasília, na próxima quarta-feira, 7/12, o Certificado de Eliminação da Transmissão Vertical do HIV. A Gerente de Atenção Especializada da prefeitura, Karla Carvalho e a enfermeira do Programa IST/ Aids - SAE/CTA, Juliana Cupertino, estarão na capital Federal para receber o prêmio.

O Secretário de Governança da Saúde, Ricardo Cacau, foi informado da conquista por meio de ofício na última quinta-feira, 1º/12, da Secretaria Nacional de Vigilância em Saúde.

“Cumprimentando-o cordialmente, temos a satisfação de informar que, no dia 23 de novembro de 2022, a Comissão Nacional de Validação (CNV) deferiu a solicitação de Certificação do Município de Coronel Fabriciano, no Estado de Minas Gerais, considerando-o apto a receber a Certificação da Eliminação da Transmissão Vertical do HIV”, diz o documento.

Cacau celebrou a certificação como um grande prêmio.

“Quero parabenizar toda a saúde. Isso é fruto do empenho de todos os servidores, desde aqueles lotados na secretaria aos que trabalham na recepção das unidades. Nós compreendemos que o trabalho conjunto gera resultados e os prêmios que temos conquistado provam isso”, disse.


CONTROLE E ACOMPANHAMENTO
A elegibilidade para concorrer à certificação exigiu trabalho em equipe, emissão de relatórios de gestão e assistência, capacitação dos servidores e informatização de toda a rede.

Para conter a transmissão do HIV na forma vertical, (quando se dá da mãe para o bebê durante a gestação, parto ou durante a amamentação do recém-nascido), o município organizou seu serviço de saúde, rastreando e examinando todas as gestantes, antecipando tratamentos e medicações e ofertando uma rede de atendimento eficaz para os bebês. Mutirões de testagens realizados pelo NEPS – Núcleo Especializado em Programas de Saúde, garantem acesso aos serviços e fortalecem a rede de controle.

A gerente Karla Carvalho, responsável pela área de Saúde Especializada do município, esclarece que o certificado é fruto de um rigoroso trabalho de controle e acompanhamento desenvolvido pela equipe do Programa IST/AIDS e Hepatites Virais.

“Nós estamos muito felizes e realizados. Toda a equipe se empenhou e quando nos credenciamos tínhamos a certeza que receberíamos este prêmio, fruto do trabalho em rede envolvendo atenção especializada, atenção básica e vigilância em saúde”, disse Karla.


COMPROMISSO
Ao conceder o certificado, o Ministério da Saúde faz uma ressalva aos municípios: manterem o trabalho que vem sendo feito. É preciso seguir as orientações do Guia para Certificação da Eliminação da Transmissão Vertical do HIV e/ou Sífilis, publicado em 2021 pelo Governo Federal. “O município certificado deve fortalecer e dar continuidade às intervenções preventivas e terapêuticas para manter a certificação nos anos seguintes, podendo perdê-la se os critérios mínimos forem desqualificados”, informa.

“Em Coronel Fabriciano, o compromisso está feito. Vamos manter nosso foco e jamais permitir que essa forma de transmissão venha acontecer novamente”, disse Cacau.


O trabalho será acompanhado pela Comissão Estadual de Validação (CEV) com monitoramento anual dos indicadores, por intermédio dos sistemas de informação de base nacional e da consolidação dos dados locais. A conferência da certificação é feita a cada três anos para Estados e municípios com menos de 1 milhão de habitantes.

OUTROS PRÊMIOS

Neste ano, a saúde de Fabriciano já foi premiada com o 1º Lugar no Prêmio Mineiro de Boas Práticas em Gestão Pública pela Associação Mineira de Municípios - AMM, e pelo próprio Ministério da Saúde com o 1º Lugar no Ranking do Programa Previne Brasil, que inclusive foi renovado nesta semana pelo segundo semestre consecutivo.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Fale com a #Redação
Fale com a #Redação
Encontrou algum erro? Quer fazer uma sugestão de matéria? Fale agora mesmo com a redação do Vale 24 Horas