10/08/2022 às 12h08min - Atualizada em 10/08/2022 às 12h08min

Caso suspeito de varíola dos macacos é investigado em Santana do Paraíso

A prefeitura do município está aguardando o resultado dos exames para confirmar ou descartar o diagnóstico

Matheus Luan - Ipatinga/MG
Foto: NIAID

Santana do Paraíso investiga o seu primeiro caso suspeito de "monkeypox": a váriola dos macacos. De acordo com uma nota emitida pelo município, trata-se de uma paciente que foi atendida no Pronto Socorro do Hospital Márcio Cunha no dia 02 de agosto, com relatos de aparecimento de lesões pelo corpo, em região do tórax, abdômen, membros superiores e inferiores, região genital, oral, palma das mãos e pés. 

Segundo a nota, a Secretária Municipal de Saúde de Santana do Paraíso recebeu informações que essa paciente esteve em São Paulo, onde começaram o surgimento das lesões há cerca de 10 dias, antes da hospitalização. Exames para diagnóstico da monkeypox foram realizados no hospital e encaminhados para a Fundação Ezequiel Dias (FUNED), em Belo Horizonte-MG. O município informou que aguarda o resultado dos exames para a confirmação ou não e, posteriormente, dará mais informações. A Prefeitura de Santana do Paraíso destacou que a paciente "paciente permanece internada em isolamento, conforme protocolos e a Nota Técnica nº 9/SES/SUBVS-SVE-CIEVS/2022". 

Confira na íntegra a nota da Prefeitura Municipal de Santana do Paraíso:

O primeiro caso suspeito de Monkeypox, também conhecida como varíola dos macacos, no município de Santana do Paraíso trata-se de uma paciente que foi atendida no Pronto Socorro do Hospital Márcio Cunha no dia 02/08/2022, com relatos de aparecimento de lesões pelo corpo, em região do tórax, abdômen, membros superiores e inferiores, região genital, oral, palma das mãos e pés.

A Secretaria Municipal de Saúde recebeu informações que essa paciente esteve em São Paulo, onde começaram o surgimento das lesões há cerca de 10 dias, antes da hospitalização. No hospital, foi realizada a coleta dos exames para diagnóstico da Monkeypox e enviada para a FUNED em Belo Horizonte. O município está aguardando o resultado para confirmação ou não de Monkeypox e, posteriormente, dará outras informações. A paciente permanece internada em isolamento, conforme protocolos e a Nota Técnica nº 9/SES/SUBVS-SVE-CIEVS/2022.

A Monkeypox é uma doença zoonótica viral causada pelo vírus Monkeypox. A transmissão para humanos pode ocorrer por meio do contato com animal ou humano infectado ou com material corporal humano contendo o vírus (BRASIL, 2022b). Apesar do nome, os primatas não humanos não são reservatórios do vírus. Em alguns países africanos, principalmente, na República Democrática do Congo a doença ocorre de forma endêmica, com ocorrência periódica de casos. Casos em outros países estavam restritos a doença contraída por viajantes internacionais ou animais importados. 

Em Minas Gerais, o primeiro caso suspeito foi notificado em 11 de junho de 2022 e o primeiro caso confirmado no dia 29 do mesmo mês em Belo Horizonte. A transmissão entre humanos ocorre, principalmente, por meio de contato pessoal com secreções respiratórias, lesões de pele de pessoas infectadas ou objetos recentemente contaminados. Úlceras, lesões ou feridas na boca também podem ser infectantes, o que significa que o vírus pode se espalhar pela saliva.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Fale com a #Redação
Fale com a #Redação
Encontrou algum erro? Quer fazer uma sugestão de matéria? Fale agora mesmo com a redação do Vale 24 Horas