A Polícia Militar de Meio Ambiente finalizou as mensurações da área queimada na Mata do Morro da Usipa

Foram o total de 252 hectares queimados, o que equivale a 252 campos de futebol do tamanho do Ipatingão, segundo a Polícia Militar de Meio Ambiente

PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_imgspot_img

No início da tarde desta segunda-feira (13), ocorreu um incêndio na mata do “morro da Usipa”, divisa entre os municípios de Ipatinga e Coronel Fabriciano.

Dos 350 hectares de mata, cerca de 252 hectares foram queimados, segundos medições da Polícia Militar de Meio Ambiente desta quinta-feira (16).

Segundo informações da Polícia Militar de Meio Ambiente, o incêndio foi provocado após um homem de 42 anos colocar fogo em fios elétricos, para tirar o cobre do material. Ainda no local, foi recolhido o isqueiro usado para queimar os cabos elétricos.

Imagens: Policia Militar de Meio Ambiente

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o fogo provocou danos em uma área particular da Usiminas e do município de Ipatinga, além de atingir uma mata nativa.

O responsável pelo incêndio foi preso pela Polícia Militar de Meio Ambiente e irá responder na Justiça por Provocar Incêndio Florestal, além da multa ambiental de aproximadamente 496 mil reais (que foi calculada de acordo com a área queimada).

Imagem: Policia Militar de Meio Ambiente

Em entrevista ao Vale 24 Horas, o Tenente Willian Moura, PM de Meio Ambiente, disse que o autor do incêndio se identificou como catador de materiais recicláveis, e que provocou a situação ao perder o controle das chamas.

“Os danos provocados na área particular e de mata nativa se enquadram como crime ambiental, e por isso nós efetuamos a prisão dele, o conduzimos, e estamos aguardando até o momento as ações serem debeladas, para fazer a mensuração da área e os autos de infrações necessárias.” relatou o Tenente Moura. 

O prejuízo para a fauna, flora e ecossistema num geral do Vale do Aço é incalculável. A Mata do Morro da Usipa abrigava uma diversidade de fauna, como tatus, macacos, pássaros, veados campeiros e outros animais, além de ser um corredor verde entre o Parque Estadual do Rio Doce e a APA Ipanema e Reserva do Pomar.

Durante os três dias de queimadas estavam no local homens do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar de Meio Ambiente e brigadistas da Usiminas.

 

 

- Ad -spot_imgspot_img

Notícias relacionadas

PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img