Deputada diz que em caso de veto da “PL contra a Buser”, votará pela “manutenção do indeferimento”

Durante a votação na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, a deputada, assim como outros deputados da região, votaram a favor da proposição que teve um imenso movimento contrário por parte da população

PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_imgspot_img

A deputada Rosângela Reis, do Podemos-MG, emitiu uma nota de esclarecimento dizendo que em caso do veto total ou parcial do PL 1.155/15 (que regulamenta o fretamento de transporte intermunicipal) por parte do governador do Estado Romeu Zema (Novo-MG), votará pela “manutenção do indeferimento”.

Durante a votação na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, a deputada, assim como outros deputados da região, votaram a favor da proposição que teve um imenso movimento contrário por parte da população.

Um dos motivos dessa rejeição é a impossibilidade da realização de viagens por meio de aplicativos, como a Buser, que acabam deixando as viagens intermunicipais com um preço menos salgado.

“Desde que o projeto iniciou a tramitação na Assembleia Legislativa, buscamos ouvir ambos os lados e decidir pelo voto que melhor representasse os interesses da coletividade. Entretanto, após a votação, percebemos que houve um grande movimento contrário à matéria”, explicou a deputada.

“Sendo nosso mandato pautado por uma plataforma que ouve os interesses do povo, me comprometo no caso de veto ao projeto (total ou parcial), pelo governador Romeu Zema, a votar pela manutenção do indeferimento da propositura”, pontuou.

O projeto de lei foi aprovado no legislativo estadual em dois turnos e agora segue para sanção ou veto por parte do administrativo estadual. Em caso de veto, que pode ser total ou parcial, o rito faz com que a proposição retorne para o legislativo, onde será votado novamente.

- Ad -spot_imgspot_img

Notícias relacionadas

PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img